Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube
Atalho para Instagram
Atalho para Flickr
Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube
Atalho para Instagram
Atalho para Flickr
Logotipo da ESMP
espaço

Friday , 06 de march de 2020

Primeiro ESMP Talks apresenta funcionamento da Casa da Mulher Brasileira

Gianpaolo Smanio anuncia a criação de GT para debater o uso de tornozeleira eletrônica por agressor
Gianpaolo Smanio anuncia a criação de GT para debater o uso de tornozeleira eletrônica por agressor
Aproveitando o mês da mulher, a Escola Superior do Ministério Público realizou, na manhã desta sexta-feira (06/03), um debate para apresentar o funcionamento da Casa da Mulher Brasileira, espaço de atendimento à mulher vítima de violência. O Procurador-Geral de Justiça Gianpaolo Smanio anunciou, na abertura deste primeiro ESMP Talks, a criação de um grupo de trabalho para o estudo de uma alteração na Lei da Maria Penha, a fim de incluir como medida protetiva o uso de tornozeleira eletrônica por parte do agressor. O evento contou com a presença de cerca de 70 pessoas e foi transmitido ao vivo pela internet para mais de 130 espectadores.
 
Smanio salientou ainda que toda a atuação do MP é voltada para a garantia do regime democrático, da proteção dos hipossuficientes e das minorias. “Ainda não está claro se a violência está de fato só aumentando ou se também estamos abrindo a porta para perceber o que já existia e, cada vez mais, as mulheres mais protegidas e empoderadas, começam a confiar no setor público para poder buscar sua proteção. A integração dos poderes e das instituições é um avanço enorme”.
 
A mesa de debates foi composta por Ana Cristina de Souza, coordenadora Geral da Coordenadoria de Políticas para as Mulheres da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania; Cristine Nascimento Guedes Costa, delegada de Polícia integrante da Casa da Mulher Brasileira; Danielle Galhano Pereira da Silva, juíza de Direito integrante da Casa da Mulher Brasileira; Fabíola Sucasas Negrão Covas, promotora de Justiça assessora do Centro de Apoio Operacional de Direitos Humanos do MPSP; Juliana Mendonça Gentil Tocunduva, promotora de Justiça integrante da Casa da Mulher Brasileira; Maria Cecília da Silva, inspetora da Divisão responsável pelo Programa Guardiã Maria da Penha; e Mariana Chaib, defensora pública integrante da Casa da Mulher Brasileira. A mediação foi feita por Marília Taufic, assessora de comunicação da ESMP.
 
O evento contou também com depoimentos das promotoras de Justiça Valéria Scarance e Silvia Chakian que participaram da estruturação do projeto para que ele se tornasse realidade.
 
Todas falaram sobre a importância da Casa e destacaram o atendimento acolhedor que é feito em seus mais diversos espaços apoio psicossocial; Delegacia especializada; Centro Judiciário da Mulher; Promotoria Especializada; Defensoria Pública; Serviço de Promoção de Autonomia Econômica e Brinquedoteca.
 
Para Juliana Gentil Tocunduva, promotora de Justiça do MPSP, “a atuação do Ministério Público na Casa da Mulher Brasileira é de fundamental importância para evitar ocorrências de feminicídio, pois em 97% dos casos, as vítimas não tinham a concessão de medidas protetivas a seu favor, a qual é pedida pelo integrante do MP”.
 
Paulo Sérgio de Oliveira e Costa, diretor da ESMP, ressaltou a importância da atuação em rede e destacou que “todos os eventos realizados pela Escola Superior do Ministério Público são realizados em conjunto com os outros órgãos, e compreender a importância do trabalho em rede é o primeiro ponto para a implementação de serviços integrados. A Casa da Mulher Brasileira é um tributo à cidadania e ao direito das mulheres”.
 
Na próxima semana, a Escola Superior disponibiliza em seus canais de podcast (Spotify, Deezer e iTunes) e em seu canal no YouTube, o debate completo.
 
Para saber mais sobre a Casa da Mulher Brasileira, clique aqui.
 
As fotos do evento estão disponíveis no Flickr da Escola.
 
talkstalkstalks
 
 

espaço
espaço
 
espaço
Rua Treze de Maio, 1259 - Bela Vista - São Paulo (SP) - CEP: 01327-001 - PABX: (11) 3017-7755/7774/7990

Todos os direitos reservados