Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube
Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube

espaço

Wednesday, 12 de july de 2017

MPSP fará cadastro para banco de dados nacional sobre violência contra a mulher

Promotora de Justiça do Núcleo de Gênero dá detalhes a respeito da iniciativa
Promotora de Justiça do Núcleo de Gênero dá detalhes a respeito da iniciativa

Dra. Valéria Scarance

A partir desta quinta-feira (13/7), o SIS MP Integrado passa a contar com campos de preenchimento que têm como objetivo criar um banco de dados nacional e padronizado dos procedimentos criminais que envolvem violência doméstica e familiar. A mudança atende ao disposto na Lei Maria da Penha que, em seu artigo 26, determina que cabe ao Ministério Público “cadastrar os casos de violência doméstica e familiar contra a mulher”. O tema é abordado também pela Resolução nº 135 do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Pelo texto, devem ser cadastrados todos os processos em que haja a aplicação da Lei Maria da Penha, inclusive os casos de feminicídio em contexto de violência doméstica contra a mulher.

Recentemente, o Procurador-Geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, se reuniu com promotores de Justiça integrantes do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid) para tratar das alterações no SIS MP Integrado. Na ocasião, Smanio abordou a importância de um cadastro nacional sobre o tema, além de colher sugestões e informações úteis para sua implementação.

De acordo com a promotora de Justiça Valéria Scarance, do Núcleo de Gênero do MPSP, são vários os aspectos relevantes para a existência de um cadastro e banco de dados de abrangência nacional sobre violência contra a mulher. Um deles é oferecer meios para a criação de políticas públicas de enfrentamento a este tipo de crime. “Isso é algo essencial, já que o Brasil não conta com políticas públicas capazes de evitar a morte de mulheres. Embora exista a Lei Maria da Penha, que é uma das três melhores leis do mundo, ocupamos o quinto lugar no ranking mundial de morte de mulheres. Estimativas indicam que, em 2016, 29% das mulheres sofreram alguma forma de violência. Foram 503 mulheres agredidas por hora no país”.

Ainda segundo Valéria, o cadastro e o banco de dados possibilitarão o mapeamento e a melhor compreensão deste fenômeno. Informações sobre autores, vítimas, locais em que a violência foi noticiada, além do que foi feito a partir de cada registro, poderão ser acessadas com mais facilidade.

“Com o preenchimento do número do boletim de ocorrência nos cadastros, poderá ser feito o cruzamento de informações com o sistema de segurança pública para verificar se esses boletins deram origem a inquéritos policiais. Poderemos também verificar os locais de maior incidência da violência contra a mulher e identificar o caminho percorrido por esta mulher até, eventualmente, sua morte”, explica a promotora.

Atualmente, se uma mulher tem uma medida protetiva em outro Estado, por exemplo, o MPSP não tem acesso imediato a essa informação. No entanto, com o banco de dados, isso passará a ser possível. O Ministério Público de São Paulo terá acesso às informações de outros Estados, e vice-versa. “Hoje em dia, caso um autor de violência tenha feito inúmeras vítimas em vários outros Estados, aqui em São Paulo ele é considerado primário com bons antecedentes. O cadastro possibilitará a integração dessas informações”, afirma Valéria.

A promotora de Justiça esclarece ainda que o Núcleo de Gênero está à disposição para tirar todas as dúvidas que surgirem na implementação do cadastro. “Queremos convidar todas e todos para estarem conosco nesta luta, que é capaz de mudar nossa sociedade. Juntos, podemos fazer muito para reduzir os índices de violência contra a mulher”, finaliza.


Núcleo de Comunicação Social

Ministério Público do Estado de São Paulo - Rua Riachuelo, 115 – São Paulo (SP)
comunicacao@mpsp.mp.br | Tel: (11) 3119-9027 / 9028 / 9031 / 9032 / 9039 / 9040 / 9095
espaço
espaço

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Rua Riachuelo, 115 - São Paulo - CEP 01007-904 - PABX: 11 3119.9000

Horário de Atendimento: das 9h às 19h

Todos os direitos reservados

 
espaço