Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube
Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube

espaço

Friday , 05 de october de 2018

Ministério Público celebra os 30 anos da Constituição e discute seu futuro

MPSP Talks reuniu várias gerações de promotores
MPSP Talks reuniu várias gerações de promotores

"Eu via que o promotor conseguia ajudar. Vendo essa atuação, eu comecei a me encantar". Foi com esse depoimento sobre sua passagem como analista do MPSP entre 2012 e 2016 que a promotora de Justiça Letícia Nanni Rodriguez Sakaue explicou a razão de enfrentar um dos concursos mais difíceis do país e ingressar na carreira, agora em 2018, quando a Carta Magna completa 30 anos. Na tarde desta sexta-feira (5/10), a instituição promoveu um evento, reunindo várias gerações de membros, para celebrar a promulgação da Constituição Cidadã, que deu ao Ministério Público a conformação que ele tem hoje.

"Nosso desafio é entender as mudanças e quais são as novas formas de avançar na garantia dos direitos", argumentou o procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, ao encerrar o "MPSP Talks: 30 anos de Constituição, 30 anos de cidadania", transmitido pelo Facebook. Uma mudança legal que desonerasse a instituição da obrigatoriedade de atuar em casos menos relevantes, na visão do PGJ, é um caminho para o futuro do Ministério Público. Participaram do debate, além de Smanio e Letícia, o procurador José Fernando Marques (decano do Órgão Especial) e o professor Fernando Schüler, do Insper.

A mediação ficou sob a responsabilidade da jornalista Laura Diniz, editora do Jota, um dos mais prestigiados veículos de comunicação do Brasil na área jurídica. Schüler apresentou como um dos pontos fortes da Constituição o fato de o texto ter proporcionado solidez à democracia no país. Mas criticou o que ele classifica como falta de efetividade dos direitos garantidos pela Carta de 1988. Para Marques, o Ministério Público tem hoje instrumentos a fim de buscar esse efetividade. "O Parque Augusta é fruto da atuação do Ministério Público", lembrou.

Smanio defendeu a mesma tese. Segundo o PGJ, o modelo de Ministério Público adotado pela Constituição foi construído em São Paulo por colegas de trajetória admirável. Entre eles, três estavam presentes ao evento: Araldo Dal Pozzo, Hugo Mazzilli e Irineu Alcântara, homenageados pelo PGJ. De acordo com Smanio, o Código do Consumidor, o Estatuto da Criança e do Adolescente, a Lei de Improbidade e mais recentemente a Lei de Combate ao Crime Organizado foram conquistas, na esteira da Constituição, alcançadas com enorme contribuição do Ministério Público.

Depois da conversa, o publicitário Fernando Taralli, presidente da VML, apresentou à plateia a campanha que será veiculada pelas redes sociais para marcar os 30 anos da Constituição que levou a atuação de promotores e procuradores de Justiça a outro patamar, fazendo desses profissionais os defensores dos direitos da cidadania. Membros do MPSP e cidadãos vão "recitar" artigos da Lei Maior, colocando no mesmo plano os promotores e a sociedade que eles defendem.

Confira depoimentos sobre a Constituição e o Ministério Público.


Núcleo de Comunicação Social

Ministério Público do Estado de São Paulo - Rua Riachuelo, 115 – São Paulo (SP)
comunicacao@mpsp.mp.br | Tel: (11) 3119-9027 / 9028 / 9031 / 9032 / 9039 / 9040 / 9095
espaço
espaço

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Rua Riachuelo, 115 - São Paulo - CEP 01007-904 - PABX: 11 3119.9000

Horário de Atendimento: das 9h às 19h

Todos os direitos reservados

 
espaço