Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube
Atalho para Instagram
Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube
Atalho para Instagram

espaço

Wednesday, 13 de march de 2019

Gaeco entra no caso de Suzano para averiguar eventual prática de terrorismo doméstico

Dois ex-alunos entraram em escola e dispararam contra alunos e funcionários
Dois ex-alunos entraram em escola e dispararam contra alunos e funcionários

Escola Suzano

Além da atuação do promotor Rafael Ribeiro do Val, designado pelo procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, para o caso do massacre em uma escola de Suzano, o MPSP vai investigar em que circunstâncias ocorreram as dez mortes por intermédio da trabalho do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O Procedimento Investigatório Criminal (PIC) foi instaurado por portaria nesta quarta-feira (13/3).

A linha central do Gaeco e apurar possível existência de organização criminosa que tenha colaborado para eventual cometimento de crimes relacionados a terrorismo doméstico, como apontam os primeiros indícios. O ataque ocorreu nesta manhã quando dois ex-alunos entraram na Escola Estadual Professor Raul Brasil e atiraram. Os atiradores cometeram suicídio no local. 

De acordo com informações da Polícia Militar, os responsáveis pelo ataque atiraram ainda contra o dono de um lava-rápido próximo à escola.

Em entrevista à TV Cultura, Smanio afirmou que é muito importante, no transcorrer das investigações, esclarecer qual a origem das armas utilizadas no ataque.


Núcleo de Comunicação Social

Ministério Público do Estado de São Paulo - Rua Riachuelo, 115 – São Paulo (SP)
comunicacao@mpsp.mp.br | Tel: (11) 3119-9027 / 9028 / 9031 / 9032 / 9039 / 9040 / 9095
espaço
espaço

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Rua Riachuelo, 115 - São Paulo - CEP 01007-904 - PABX: 11 3119.9000

Horário de Atendimento: das 9h às 19h

Todos os direitos reservados

 
espaço