espaço

Tuesday , 01 de june de 2021

Com ação, Promotoria quer evitar atuação da GCM como Polícia Militar na cracolândia

Membros do MPSP traçam histórico de operações excessivas
Membros do MPSP traçam histórico de operações excessivas

Evitar que a Guarda Civil Metropolitana (GCM) atue como se fosse Polícia Militar na região da capital paulista chamada "cracolândia" é o objetivo de uma ação ajuizada nesta segunda-feira (31/5) pela Promotoria dos Direitos Humanos. 

Na petição inicial, os membros do MPSP Eduardo Valerio, Arthur Pinto Filho e Anna Trotta Yaryd fazem um histórico de atuações excessivas perpetradas pela GCM na região, em situações caracterizadas pelo desvio de função e abuso de poder. As apurações acontecem desde 2017 no âmbito da Promotoria, que já ouviu integrantes e dirigentes da GCM e fez várias tentativas de solução extrajudicial, por meio de reuniões voltadas à modificação da atuação da corporação. 

Segundo os promotores, a pretexto de combater os traficantes de drogas, as forças de segurança atacam os usuários, "que sofrem, em consequência, a violência do traficante, a violência das 'polícias' e as fraquezas próprias e pessoais, derivadas de sua dependência química e de sua exclusão social". Ainda de acordo com os membros do Ministério Público, a região da "cracolândia" precisa de políticas públicas de cuidado com pessoas em situação de extrema vulnerabilidade.


Núcleo de Comunicação Social

Ministério Público do Estado de São Paulo - Rua Riachuelo, 115 – São Paulo (SP)
comunicacao@mpsp.mp.br | Tel: (11) 3119-9027 / 9028 / 9031 / 9032 / 9039 / 9040 / 9095
espaço
espaço

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Rua Riachuelo, 115 - São Paulo - CEP 01007-904 - PABX: 11 3119.9000

Horário de Atendimento: das 9h às 19h

Todos os direitos reservados

 
espaço