Justiça de Itapira condena 5 traficantes ligados ao PCC

 

A Justiça de Itapira, no interior do Estado, condenou à prisão cinco traficantes de drogas ligados à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), que agiam no município.

 

Amílton César Antunes Garcia, Leandro Ferreira da Silva, Bruno Willian Gomes da Silva, João Batista dos Reis e Maycon Augusto Terrazan foram denunciados à Justiça, em março de 2007, pelos promotores de Itapira André Luiz Brandão e Alexandre De Palma Neto e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco)-Núcleo Campinas. Todos foram presos preventivamente pela prática de crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

 

A quadrilha foi identificada nas investigações deflagradas após a onda de atentados promovida pela organização criminosa em maio de 2006, quando as residências de vários policiais de Itapira foram atingidas por tiros.

 

A partir daquela data, a Promotoria de Justiça obteve autorização judicial e fez o monitoramento telefônico de suspeitos dos atentados, com apoio da apoio da Polícia Militar, Guarda Municipal e Polícia Civil.  As investigações e o monitoramento telefônico duraram cerca de oito meses, e resultaram na prisão dos principais envolvidos com a organização criminosa e que faziam o tráfico de drogas em Itapira. Com eles foram apreendidos cocaína, maconha, ampolas de plástico para embalagem das drogas, dinheiro e telefones celulares.

 

No último dia 12, Amílton César Antunes Garcia foi condenado a dois anos e seis meses de prisão por tráfico. Os demais réus foram condenados por tráfico e associação para o tráfico.  Leandro Ferreira da Silva, Maycon Augusto Terrazan e Bruno Willian Gomes da Silva, foram condenados a sete anos e dois meses de reclusão; e João Batista dos Reis, a 14 anos e dois meses e vinte dias de reclusão, todos em regime inicial fechado. O MP tomou ciência da sentença no dia 20.