Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube
Atalho para Instagram
Atalho para Facebook
Atalho para Twitter
Atalho para Youtube
Atalho para Instagram

espaço

Friday , 03 de may de 2019

Gaeco deflagra operação com mais de 500 agentes para sufocar facção criminosa

Na ação, planejada após transferência de líderes a prisões federais, R$ 1 milhão foi apreendido
Na ação, planejada após transferência de líderes a prisões federais, R$ 1 milhão foi apreendido

Na manhã desta sexta-feira (3/5), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público de São Paulo (Gaeco) deflagrou, com apoio da Polícia Militar, a Operação Jiboia para cumprimento de ordens judiciais de prisões e buscas domiciliares contra integrantes da facção criminosa PCC na capital e em outras regiões do Estado. Mais de 500 agentes foram para a rua.

 

Foram cumpridos mandados na seguintes cidades: São Paulo, Guarujá, Bertioga, Campinas, Sorocaba, Tatuí, Itapetininga, Ribeirão Preto, Jaboticabal, Cravinhos, Matão, São José do Rio Preto, Jales, Fernandópolis, Votuporanga, Cardoso, Tanabi, Mirassol e Barretos.

 

Os presos foram investigados, ao longo dos últimos meses, por exercerem as mais diversas funções na facção, ligadas ao tráfico de drogas, ao cadastramento de armas e ao recolhimento de valores para a organização, a realização de julgamentos informais (“tribunais do crime”) e até funções de inteligência e de lideranças. 
 
É a primeira etapa de um trabalho visando a manter a desestruturação (estrangulamento, daí o nome da operação) da organização criminosa, iniciada com a transferência da cúpula para presídios fora do Estado de São Paulo, após decisão judicial no início deste ano que deferiu pedido do Gaeco.  

 

Parte dos alvos integraria as atuais funções de comando e liderança da facção nas ruas, em lugar da cúpula atualmente custodiada em presídios federais. 

 

A força-tarefa envolveu a participação direta de 22 promotores de Justiça, 17 servidores, 504 PMs, entre praças e oficiais da Rota, dos BAEPs e Forças-Táticas das regiões, 121 viaturas, equipes da Rocam, cinco equipes de canil e três helicópteros Águia (em Sorocaba, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto).

 

Até o fim da manhã, o balanço da operação indicava a apreensão de R$ 1 milhão em dinheiro vivo, sete armas, mais de 50 celulares, quatro balanças utilizadas para pesar droga, anotações da facção e sete veículos.    

 

Além das prisões determinadas por mandados, 11 pessoas foram presas em flagrante delito. Houve ainda o cumprimento de 33 mandados de prisão e 77 de busca e apreensão.

 

De acordo com o subprocurador-geral de Justiça de Políticas Criminais e Institucionais, Mário Sarrubbo, a “coordenação entre promotores de Justiça, agentes de núcleos das mais diversas regiões, é fundamental para que o Ministério Público prossiga na sua estratégia de enfrentamento de forma mais integrada, moderna e ágil contra a maior facção criminosa do país. Dentro desta atual concepção, nos próximos dias parte dos aparelhos digitais e dos documentos apreendidos serão encaminhados para perícia com recursos tecnológicos mais avançados e modernos, permitindo espectro mais aprofundado e preciso de análise e cruzamento de dados”. 

 

Os investigados podem responder por crimes de organização criminosa (3 a 8 anos de pena), tráficos de drogas (5 a 15 anos de pena), associação ao tráfico (3 a 10 anos de pena), sequestro e cárcere privado (2 a 08 anos de pena) e lavagem de dinheiro (3 a 10 anos de pena).

 

Mais fotos da operação podem ser acessadas aqui.


Núcleo de Comunicação Social

Ministério Público do Estado de São Paulo - Rua Riachuelo, 115 – São Paulo (SP)
comunicacao@mpsp.mp.br | Tel: (11) 3119-9027 / 9028 / 9031 / 9032 / 9039 / 9040 / 9095
espaço
espaço

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Rua Riachuelo, 115 - São Paulo - CEP 01007-904 - PABX: 11 3119.9000

Horário de Atendimento: das 9h às 19h

Todos os direitos reservados

 
espaço